Veja Também
Carregando...

A Dermatite atópica ou Atopia Canina trata-se de uma doença dos cães causada pela sensibilidade exacerbada a alérgenos ambientais, como: pólen, ácaros, poeira, etc; levando o animal a desenvolver um quadro de prurido intenso e inflamação da pele.
Algumas raças são mais predispostas como Shar Pei, Lhasa Apso, Shih Tzu, Fox Terrier de Pêlo Duro, Dálmata, Pug, Setter Irlandês, Golden Retriever, Boxer, Setter Inglês, Labrador, Schnauzer Miniatura, Pastor Belga e Buldog Inglês. Porém, os queridos mestiços, mais conhecidos como vira-latas também podem ser vítimas da atopia.
Cães atópicos, além de sofrerem com o prurido, a inflamação severa da pele causada principalmente pelo ato de coçar, eles também podem apresentar espirros, coriza, queda de pelos e otite. Esses sintomas aparecem com mais 
frequência em cães entre 1 e 7 anos idade, sendo que raças extremamente sensíveis podem tê-los com
 menos de 6 meses como o Akita, Sharpei e Golden Retrievier. Tais sintomas podem ser comuns de outros tipos de alergias, portanto, o diagnóstico preciso deve ser feito pelo médico veterinário.
A escolha de shampoos suaves (Plants) é uma boa opção para ajudar a prevenir ou controlar os sintomas da atopia nestas raças mais sensíveis. Porém, o tratamento correto deve ser feito pelo veterinário, pois envolve utilização de medicamentos como corticóides, anti-histamínicos e antibióticos que devem ser utilizados com critério.
Alimentação, banhos e outros cuidados de higiene, como a limpeza dos ouvidos também devem ser orientados por este profissional.
Nos seres humanos, a atopia também ocorre e muitas vezes, para tristeza dos amantes de animais de estimação, estes são obrigados a disporem de seus companheiros por orientação médica a fim de controlar os sintomas da doença que podem ser extremamente severos. Pelos não são os principais vilões causadores das alergias de animais em humanos e sim a descamação da pele, ou seja, flocos de pele morta. Sabe-se que o trauma da separação pode ser difícil de lidar, levando-se em conta, a estreita relação entre humanos e seus pets que vem se intensificando cada vez mais.
Especialistas orientam que pessoas alérgicas aos seus cãezinhos ou gatinhos de estimação, tomem algumas medidas antes da decisão de doação. Dentre essas medidas, podemos citar:
- Banho e escovação uma vez por semana nos cães e gatos, feitos por um membro da família não alérgico ou por um banhista;
- Lavagem da cama, cobertores e roupas dos cães e gatos uma vez por semana com água quente;
- Utilização de limpadores de ar central por pelo menos 4 horas por dia e utilização de aspiradores de pó em tapetes, sofás além da limpeza com pano úmido;
- Mesmo sabendo que os alérgenos se espalham por uma grande área, o ideal é manter a cama e caixa de areia dos animais longe do quarto da pessoa alérgica;
- Evitar abraços, beijos e carícias feitos pela pessoa alérgica e em caso de ocorrer, lavar muito bem as mãos.
Lembrando que, apesar de todas estas medidas, pessoas alérgicas devem ser acompanhadas por um médico especialista na área e seguirem criteriosamente as orientações dos mesmos.

Fonte:
Por Juliana Trigo, Médica Veterinária e Supervisora Técnica Ourofino Saúde Animal.

http://www.ourofino.com/saude-animal/pets/artigos-tecnicos/